OS HORTINS - A horta que falta em cada jardim

31 MAI · 1 JUN 2014


A Fundação Cultursintra FP promove, na Quinta da Regaleira, nos dias 31 de Maio e 1 de Junho, um Workshop teórico e prático sobre Hortas de Baixa Manutenção em Permacultura.
O preconceito normalmente difundido de que a construção de uma horta implica um grande esforço físico e custos associados que não compensam tem levado muitos entusiastas a desistir rapidamente do intento substituindo-o por outras actividades ou procurando outras paisagens.
A ideia de que a horta está associada ao trabalho manual e à necessidade de cavar a terra constitui um dos factores mais desmotivadores.
A Permacultura ensina-nos que um bom planeamento e design inicial pode minimizar em muito o trabalho manual de construção de uma pequena horta sustentável, para consumo próprio. Bill Mollison, o principal precursor da Permacultura, define-a como um método para planear, actualizar e manter sistemas de escala humana - jardins, vilas, aldeias e comunidades - ambientalmente sustentáveis, socialmente justos e financeiramente viáveis.
Aprenda a fazer uma horta de baixa manutenção e a baixo custo. Inscreva-se!


PROGRAMA

SÁBADO | 31 MAI


09h30  Recepção aos participantes
10h00  Sessão teórica: Introdução à Permacultura
11h00  Sessão prática: Design e implantação de um canteiro mandala
13h00  Almoço
14h30  Sessão teórica: Técnicas para minimizar o trabalho da terra
15h30  Sessão prática: Implementação das técnicas para minimizar os trabalhos na terra
17h30  Visionamento do filme “Farmer John”
18h30  Encerramento

DOMINGO | 1 JUN

10h00  Sessão teórica: Técnicas de manutenção. Rega e controle de espontâneas
11h00  Sessão prática: Implementação de sistemas de rega e “molching” num canteiro mandala
13h00  Almoço
14h30  Sessão teórica: Biodiversidade, associação de plantas
15h30  Sessão prática: Plantação
16h30  Debate: “Fechar Ciclos”
17h30  Encerramento

——

Formador: José Arantes Pedroso

Local: Quinta da Regaleira

Acesso: 2 dias € 60,00 /pax  |  1 dia € 40,00 /pax

Número máximo de inscrições: 25 pax

Informações e reservas:
Fundação Cultursintra FP 
Tel. 219 106 650 | regaleira@mail.telepac.pt

——

JOSÉ ARANTES PEDROSO



"Um Percurso de Vida"


Depois de quase 30 anos a trabalhar como profissional das artes cénicas, nas áreas da dança e do teatro, actuando na televisão, no cinema e no teatro, com carreira iniciada no Brasil, desenvolvida em Nova York e realizada em Portugal, senti que tinha chegado o momento da mudança, da transição.
Como tenho necessidade de ter a cabeça e o coração a trabalhar em uníssono, tive a sorte de me apaixonar por uma nova actividade profissional, que me permite lutar por uma causa nobre: ajudar o nosso Planeta a ser mais saudável, justo e sustentável através da Agricultura Naturalista.
Para iniciar esta nova carreira, fui viver para o campo, comecei a fazer cursos e workshops de agricultura em modo de produção biológica, depois em biodinâmica e finalmente em Permacultura. Paralelamente ia aplicando estes novos conhecimentos na minha horta, onde tive o privilégio de poder ter um longo período de experimentação, sem necessidade de rentabilidade imediata, pude assim aprimorar as minhas práticas e ganhar "know how".
Confesso que no início achei que para a minha idade o trabalho era um pouco pesado, apesar de ser muito gratificante e altamente terapêutico.
Mas qual foi o meu espanto, ao assimilar os ensinamentos do genial agricultor japonês Fukuoka e do impulsionador da permacultura o australiano Bill Mollison, aperceber-me que era possível minimizar todos aqueles trabalhos pesados que tanto nos assustam quando queremos fazer um horta. Que alívio, podia por a enxada de lado!!!
O incentivo para transmitir esta informação foi ainda maior e é com alegria que vejo a vontade e a satisfação nas caras das pessoas ao saírem dos "workshops de construção de hortas de baixa manutenção", decididos a construírem as suas próprias hortas.
Agora, passados cerca de 10 anos, para além da produção agrícola, ainda tenho a possibilidade e o prazer de poder ensinar e ajudar as pessoas a produzirem o seu próprio alimento.
Como acredito que nada é por acaso, não é por acaso que a ONU, entidade que respeito como cidadão deste Planeta Terra, decretou o ano de 2014 como o ano internacional das pequenas hortas familiares, também não será por acaso que a FAO, entidade que respeito como profissional da agricultura, anunciou que a maneira mais eficiente de matar a fome no mundo é através da multiplicação de pequenas produções locais em agricultura biológica. E também não é por acaso que me é permitido embeber desta nobre missão de espalhar esta informação.
É com grande satisfação e entusiasmo que enfrento o desafio de fazer um workshop para a construção da Horta da Quinta da Regaleira e mais uma vez ter a oportunidade de falar daquilo de que realmente gosto.