LOVE WAVE
Uma exposição de Pedro Alves da Veiga

15 JUL · 15 OUT 2012
Todos os dias a partir das 14h30


O amor é desde sempre um dos temas, senão “o” tema mais central em toda a arte e literatura. É contudo um tema de difícil definição concisa, que desencadeia múltiplas abordagens, com nuances subjectivas, culturais, linguísticas e filosóficas (o amor por uma mãe, por um país, por todos os seres vivos...).

“Love Wave” é um trocadilho apenas possível em inglês, dado que a sua tradução para português será “Onda de Love”. As “Ondas de Love” são ondas sísmicas de superfície, de elevado poder, e são a versão “sólida” das ondas que observamos, por exemplo, à superfície de um lago quando nele deixamos cair uma pedra, formadas a partir do “epicentro” do impacto.

Devem o seu nome ao matemático britânico Augustus Edward Hough Love, que em 1911 criou um modelo para a sua representação, no âmbito da teoria da elasticidade.

É minha intenção ligar estas ondas sísmicas, poderosas, destrutivas e simultaneamente criadoras às reacções energéticas que associamos ao amor, e por isso a designação “Love Wave” é perfeita.

É minha profunda convicção que existe efectivamente uma energia que une toda a espécie humana (provavelmente todos os reinos, animal, vegetal e mineral) e que todas as acções que desencadeamos encontram ecos em alguém ou alguma coisa, e por isso sofremos e alegramo-nos empaticamente.

Esteticamente o fascínio das representações simbólicas, mágicas, místicas do “sagrado coração” (envolto em chamas, coroado, símbolo cristão do amor universal), do Claddagh irlandês (um coração coroado segurado por duas mãos, símbolo de amizade, amor e lealdade) e do coração alado, símbolo do Sufismo Universal (da transformação corajosa e compassiva das fontes de medo e hostilidade presentes em cada um de nós, da encarnação individual da paz em todas as nossas relações, e reflexo da unidade essencial da família humana) está presente em (quase) todas as peças, apesar de filtrado e reinventado através da criação de novos símbolos, novos hieróglifos.

Estas são peças intemporais, colecções de objectos inusitados, antigos e modernos, restos, ferramentas, jóias, vidros, pedaços de madeira, montados de acordo com um pensamento que lhes está associado, ou se preferirem, incorporado no objecto. Cada peça é a materialização de uma intenção, de uma história e transporta consigo essa carga.

O seu “trabalho” começa consigo, caro visitante, através da leitura, observação e empatia, que permita a esta “Love Wave” mudar o seu mundo individual. torná-lo mais atento a tudo à sua volta, abolindo divisões tribais e civilizacionais, e unindo-nos no que verdadeiramente importa.

Afinal... tudo está ligado.


——


EVENTOS

23 AGO e 27 SET | 18h30
NOVAS PEÇAS 
Algumas das peças expostas serão substituídas, constituindo estes momentos uma oportunidade para um refrescar de leituras e observações. 
 
6 OUT | 17h00
PROJECÇÃO DE FILME
Filme documental baseado em pequenas entrevistas com a pergunta "O que é o amor?" Lugares limitados, sujeito a inscrição prévia.

11 AGO e 2 SET | 18h30
WORKSHOPS
O cadavre exquis ou cadáver esquisito, é um jogo colectivo surrealista inventado por volta de 1925 em França, e vai ser aqui aplicado à criação de desenhos onde intervêm três (ou mais) participantes, cujo único requisito é o de continuar o traço do anterior, dele só conhecendo a sua terminação, e utilizando elementos inspirados pela exposição “Love Wave”. Lugares limitados, sujeito a inscrição prévia.
 
26 JUL, 23 AGO e 27 SET | 18h30
6 OUT | 17h00
CONVERSAS DE FIM DE TARDE
Como forma de promover um hábito antigo (o da conversa de café), e também de aproximar desconhecidos, estes workshops contarão com a presença de algumas figuras-chave, que irão quebrar o gelo e conduzir as primeiras notas, mas trata-se de círculos de conversa onde cada participante será também o protagonista.


Acesso: Incluído nas condições de acesso à Quinta da Regaleira.

http://pedroveiga.com